Alimentação saudável como aliada à qualidade de vida e bem-estar

Alimentação saudável como aliada à qualidade de vida e bem-estar

Ter uma alimentação saudável é fundamental para que as funções do organismo funcionem de forma equilibrada. Dessa maneira, uma alimentação saudável é aquela composta por todos os macro e micronutrientes. 

O ato de alimentar-se bem, além de trazer mais disposição, contribui no combate à doenças, mantém um peso adequado do corpo e proporciona um bom desenvolvimento físico.

Muitas pessoas confundem alimentar-se bem com fazer uma dieta restritiva e que, com isso, não se pode comer nada ou precisa passar horas sem comer. Leia Também: Ansiedade: como resolver com hipnoterapia?

Contudo, na verdade, uma refeição correta consiste em ter uma alimentação equilibrada, com diversidade de grãos, verduras, legumes, frutas e fontes de proteína, na quantidade certa.

Nesse sentido, alguns alimentos saudáveis são:

  • Oleaginosas (ômega 3): diminui riscos de doenças cardiovasculares;
  • Aveia (fibra e carboidrato): previne doenças como diabetes;
  • Vegetais verdes (vitamina C): melhora o sistema imunológico;
  • Carnes magras (ômega 3, selênio e vitamina B3): previne a calvície;
  • Frutas vermelhas: previnem infecção e perda de memória;
  • Alhos: forte agente contra gripes, resfriados e outras infecções.

Outra dica importante é estabelecer horários para se alimentar.

Para isso, os nutricionistas recomendam que haja alimentação a cada três horas, em uma quantidade adequada e com alimentos saudáveis.

Por exemplo, substituir biscoito (principalmente recheado) por frutas, evitar frituras, utilizar farinha integral ao invés de farinha branca e incluir gorduras saudáveis como coco, abacate ou manteiga é o ideal para as refeições e lanches intermediários.

Alimentação saudável

Quantidade ideal de calorias por refeição

A quantidade de mil calorias por dia é o ideal para uma alimentação saudável.

No café da manhã, por exemplo, é necessário ter cuidado com a quantidade de gordura (máximo 90 calorias). Caso for comer manteiga, passar apenas uma espátula no pão, ou uma fatia de queijo e presunto.

No almoço, o prato deve ter até 560 calorias de carboidratos, 140 calorias de proteínas e 150 gramas de carne vermelha, peixe, frango ou um ovo. Já no jantar o ideal é que o prato tenha 320 calorias em carboidratos, 80 de proteínas e 135 de gorduras. Essa é uma boa média para ter refeições saudáveis.

Contudo, apesar dessa base, alguns organismos têm o funcionamento mais – ou menos – acelerado, também demandando uma quantidade diferente de nutrientes. Por isso, o ideal é consultar um especialista para que as necessidades sejam supridas de forma correta.

Em grande maioria, o café, o almoço e o jantar são às três principais refeições feitas pela população brasileira diariamente.

No entanto, uma fruta, iogurte ou aveia são ótimas pedidas para o intervalo das refeições.

Assim, mantém-se o funcionamento intacto do organismo e supre a fome, até porque, de acordo com os nutricionistas, ficar sem comer por um longo período consome massa magra, o que faz perder peso de forma não-saudável.

Alimentação e saúde bucal

A alimentação influencia praticamente em todo o organismo humano, assim como a saúde bucal.

São diversos efeitos que a ingestão frequente de alimentos que fazem mal ao corpo podem trazer para a boca.

O consumo constante de refrigerantes e outros líquidos ricos em açúcar e corantes, por exemplo, podem causar cárie dental e desmanche do esmalte do dente.

Em problemas como esse, sem um convênio dentário ou o devido acompanhamento profissional, haverá muita dificuldade de tomar os cuidados e procedimentos necessários para recuperar a estrutura dental.

Inclusive, é recomendado manter idas ao dentista a cada seis meses para fazer a limpeza e injeção de flúor, além de manter um acompanhamento contínuo com um profissional da área de saúde bucal.

Uma dica para economia e bem-estar nesse contexto é recorrer a um convênio dental.

Cabe ressaltar que um fator positivo para a saúde bucal é a ingestão de alimentos ricos em cálcio, como leite, queijo, iogurte, sardinha, salmão, couve, brócolis, espinafre, sucos, nozes, sementes de gergelim, cereais fortificados e feijão são benéficos e essenciais para o fortalecimento dental.

Isso porque o cálcio compõe 99% dos ossos humanos e, portanto, ingeri-los, faz com que os dentes mantenham-se fortes e com menor risco de quebra ou queda.

O cuidado com os dentes é tão necessário quanto o corpo e a mente

Assim, ter um plano odontológico traz mais confiança e facilidade ao recorrer aos atendimentos odontológicos, com fácil controle pela operadora.

Desse modo, a regularidade das consultas (privadas ou por convênio) funciona como uma aliança no combate às doenças bucais e, para manter uma saúde em dia de forma geral, os profissionais (nutricionista, médico e dentista) precisam ter uma participação interligada.

Por isso, o ideal é fazer uma pesquisa, olhar os preços e os planos mais palpáveis para contratar os serviços e quais os benefícios oferecidos.

Uma saúde integral vai desde a alimentação até os hábitos de limpeza

Além disso, aliar os cuidados diários a um plano odontológico pessoa física é possível manter os dentes intactos e saudáveis, realizando a monitoria e profilaxia quando necessário.

Assim, pequenas mudanças no prato e a prática de exercícios físicos regularmente se tornam grandes aliados do corpo, fazendo uma grande diferença no bem-estar e no convívio social.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe da Ideal Odonto, empresa especializada em planos odontológicos com atendimento acessível para devolver o sorriso dos pacientes.